Plataformas e TV aberta: amigas e rivais


Globo e SBT acabam de anuciar parceiras com a Amazon, a gigante do e-commerce mundial que está colocando todo o peso de sua marca e estrutura na plataforma de  streaming Prime Video, com conteúdos de filmes, séries e reality shows.  A Globo se alia ao serviço de voz Alexa e o SBT firma parceria para um novo programa, o "Famílias Frente a Frente".

São sinais de que as redes de TV não querem perpetuar o baque que as plataformas digitais causaram no seu tradicional modelo de negócio, no melhor estilo se o inimigo é mais forte, junte-se a ele. Foram anos e anos de sustos com o avanço de Google, YouTube, Facebook  e, mais recentemente, Twitter e Instagram, tirando além de preciosos pontos de audiência da TV, também verbas de publicidade. Agora, a reação acontece via acordos entre as empresas nacionais e as gigantes internacionais.

No final de julho, no evento Pay-TV Forum 2019, em São Paulo, Alberto Pecegueiro, diretor geral da Globosat (canais de TV por assinatura da Globo, como SporTV, Multishow e GNT)  declarou que o caminho da parceria com as gigantes multinacionais seria inevitável. (leia mais aqui ).

Em agosto, na abertura do SET Expo 2019 – Congresso e Feira da Sociedade de Engenharia de Televisão,  representantes do YouTube  e  da Amazon foram convidados de honra.   Rivais e concorrentes em disputa de audiência e negócios dos canais da TV aberta, as gigantes foram apresentadas como exemplos de plataformas que levam experiências em tecnologia para o telespectador. (leia mais no final do texto)

Globo com Alexa

Divulgação
A caixa de som por comando de voz Amazon Echo, equipada com o serviço Alexa

Em lançamento na semana passada,  a Globo anunciou a oferta de pílulas dos noticiários do G1 e do GloboEsporte.com no serviço de voz Alexa, da Amazon. São formatos exclusivos, com duração de dois a três minutos.
“Essa parceria com o novo serviço de voz Alexa, da Amazon, é fundamental para nossa estratégia de inovação para entrega de conteúdo na Era da Voz.

O uso de assistentes de voz e o consumo de conteúdo em áudio têm crescido em todo o mundo, inclusive no Brasil, então é um movimento importante para estreitar nosso relacionamento com as pessoas, entregando conteúdo em diferentes momentos de sua jornada diária, no dispositivo em que estiverem conectadas”, resumiu Eduardo Schaeffer, diretor de Negócios Integrados da Globo.

Para José Nilo Martins, country manager de Alexa Skills no Brasil, o projeto faz parte de uma escolha estratégica para a atuação da Amazon no país. “Queremos oferecer os conteúdos preferidos dos brasileiros e estamos muito felizes em termos conteúdo da Globo desde o primeiro dia da Alexa no Brasil. Acreditamos que isso torna a experiência de nossos clientes ainda melhor”.

A Globo informa que já lançou, desde o segundo semestre de 2018, três aplicações que funcionam por meio do Google Assistant e oferecem experiências únicas para os consumidores nos seus portais de jornalismo e entretenimento.  A emissora promete que nos próximos meses, deve ser disponibilizado um serviço exclusivo para a programação, que irá permitir que as pessoas tirem dúvidas sobre os conteúdos e seus horários de exibição. O serviço estará disponível no Google Assistant e na Amazon Alexa.

O Receitas Gshow chegará também ao Alexa. Ainda em fase de finalização, o assistente “G1 No Seu Tempo” permitirá que as pessoas escolham entre conteúdos de um, três ou mais minutos, adequando o consumo ao momento em estão vivendo. O serviço estará disponível tanto no Google Assistant quanto na Amazon Alexa. Também está prevista para 2019 a disponibilização de todos os podcasts da Globo para consumo via Amazon Alexa.

SBT no Prime Video

Novo reality show de culinária no SBT: exibição na TV e na Amazon Prime Video
O SBT e o Amazon Prime Video lançam em parceria o reality "Famílias Frente a Frente", da produtora Endemol Shine, com apresentação de Tiago Abravanel. O programa começa a ser exibido em 10 de outubro no serviço streaming e, no dia seguinte, às 23h15, na TV aberta.

São 12 famílias unidas pela culinária que irão competir  na cozinha da atração. O júri é formado pelo trio de jurados Alê Costa (chocolatier e fundador e presidente da Cacau Show), Carmem Virgínia (chef e pesquisadora da culinária ancestral) e Gilda Bley (repórter, apresentadora e personal chef).  A final, que premiará a  "Melhor Comida Caseira do Brasil", com direito a R$100 mil,  será exibida simultaneamente no SBT e na plataforma.


 Plataformas foram convidadas no Congresso da SET


Marcelo Pinto (Amazon), Kohei Kambara (NHK), Patricia Muratori (YouTube/Google) e Alvaro Pereira Jr. (TV Globo)


No principal evento da TV aberta  no País, o SET Expo 2019, em agosto em São Paulo, ficou clara a aproximação entre as emissoras e as empresas, apresentadas como exemplos de plataformas que levam experiências em tecnologia para o telespectador e ocuparam lugar de honra no palco da abertura do Congresso. Foi um claro sinal dos tempos: em anos anteriores, esta cerimônia era ocupada pelos presidentes ou diretores gerais dos principais canais de TV nacionais e representantes do governo. Desta vez, o único representante da mídia nacional na conversa foi o mediador, Álvaro Pereira Júnior, repórter especial do Fantástico.

"O Brasil é o terceiro maior país do YouTube no mundo, atrás da Índia e do líder Estados Unidos", afirmou a diretora da plataforma no país, Patrícia Muratori. O YouTube soma 2 bilhões de usuários em escala global, e recebe 500 horas de uploads de vídeos a cada minuto. "A cada hora, temos sete meses de vídeo", ela contabiliza.

Ainda, dois entre os dez maiores influenciadores da plataforma são brasileiros: o produtor musical Kondzilla (com 50 milhões de inscritos) e o comediante Whinderesson Nunes (36 milhões)– eles estão na companhia de nomes como o astro Justin Bieber (46 milhões). Mesmo com menos inscritos (1,6 milhão), o médico Dráuzio Varella também foi destacado.

Entre os canais de TV com presença no YouTube, Patricia citou o SBT, com oito milhões de inscritos. E também a plataforma de futebol DAZN, que obteve recorde de alcance ao transmitir uma partida no YouTube entre  Corinthians e Racing, com 500 mil views. O canal de finanças Me Poupe, de Nathalia Arcuri, outro destaque, este ano vai faturar R$ 20 milhões, de acordo com Patricia.

Pela Amazon, o diretor da área de web services, Marcelo Pinto, ilustrou   possibilidades de uso de aplicativos de internet para transmissões de grandes eventos. Como exemplo, mostrou a solução encontrada na TV do Reino Unido para a cobertura do casamento do príncipe Harry com Megan Markle, com a TV fazendo reconhecimento facial dos convidados.

Outro participante da conversa foi o pesquisador Kohei Kambara, da NHK, cuja apresentação foi focada nos temas de inovação, como realidade virtual e realidade aumentada combinadas com o 3D.  A emissora japonesa, sempre na dianteira de soluções para alta definição, é o sonho de consumo de toda emissora de TV aberta. O executivo apresentou um vídeo com possibilidades avançadas para as transmissões em 8K.

O laboratório de inovação da NHK dedica-se inteiramente às novas tecnologias no audiovisual. No filme da NHK, a TV obedece a comandos de voz, imagens em forma de holograma migram do aparelho para o ambiente, e é possível interagir com a imagem, compartilhando a ação com amigos conectados. É mais ou menos a TV correndo atrás das redes sociais, o que justifica as parcerias com as plataformas ali representadas.

Postar um comentário

0 Comentários