Um mergulho nas redes sociais



Você está no Facebook?



A SocialBakers, empresa especializada em redes sociais, fez um levantamento sobre os veículos de mídia com mais fãs no Facebook. Os canais de TV dominam, em especial, os da TV por assinatura. São eles: 1) Multishow, 2) TV Esporte Interativo, 3)Telecine, 4) SporTV, 5) UOL. Por outro lado, as empresas que mais respondem às perguntas que os fãs fazem na sua fanpage são também de TV por assinatura, na primeira e segunda colocação. São elas: 1)Sky, 2) GVT, 3)Bradesco, 4) Santander, 5)TAM.
Os dados foram apresentados por Paulo Henrique O. Gomes, territory manager da Social Bakers no Brasil, durante o evento Social Media Insights do IAB - Interactive Advertising Bureau do Brasil, que aconteceu em São Paulo, nesta terça-feira, 14. O Facebook tem 73 milhões de usuários no Brasil, sendo 54% deles, mulheres. 60% de todos os “facers” têm entre 18 e 34 anos de idade.
Sabe quais os assuntos que preferem? 1) Viagens, 2)Música, 3)Esportes, 4)Filmes, 5)Rock. Finalmente, entre as marcas, as que têm maior número de fãs no Facebook são: 1) Guaraná Antarctica, 2)Skol, 3) Coca-Cola, 4)Hotel Urbano, 5)L’Oreal, 6)Lacta, 7)Cerveja Braham, 8) Itaú.
Segundo a empresa, a “vida útil” de um post (das empresas) colocados no Facebook é de sete horas, sendo que os primeiros 30 minutos formam o período de maior engajamento por parte dos fãs, com maior número de comentários etc.

Você está no Linkedin?


A rede social voltada ao mundo profissional Linkedin já tem 12 milhões de integrantes no Brasil. De acordo com Osvaldo Barbosa de Oliveira, diretor geral do Linkedin no Brasil, no mundo todo, um em cada três profissionais está na rede social no mundo todo – são 200 milhões de cadastrados. 



Você está no Twitter?




Guilherme Ribenboim, diretor geral do Twitter no Brasil, disse durante o Social Media Insights, do IAB, que 95% das conversas de TV acontecem dentro do Twitter. E que, de SEcond Screen, às vezes o Twitter é mesmo a primeira tela, de onde as pessoas vão para a TV porque no momento estão lendo sobre um programa que está sendo comentado. Por se tratar de uma plataforma aberta e em tempo real, ele explica: “A experiência de assistir à TV com o Twitter modifica a forma como você enxerga a TV. E a TV faz um Twitter melhor, porque ela insere um elemento de conversação”.
Ribenboim exemplifica com o case do reality show “Mulheres Ricas”, atração do primeiro trimestre do ano na Band, quando além de as pessoas acompanharem os comentários sore o programa, também podiam ver no Twitter os posts em tempo real das participantes discutindo entre si, além dos fã-clubes de cada uma delas se manifestando. Ele também mostrou como empresas que colocam palavras identificadas como o sinal #, as hashtags, conseguem monitorar os comentários e posts que as repercutem. “Metade dos anunciantes do Superbowl incluíram hashtags nas campanhas para amplificar os resultados”, conta, lembrando que a repercussão online é imediata. Desde fevereiro deste ano, o Twitter lançou operação comercial no País.


Felipe Neto virou um homem de negócios



Sabe aquela pose de jovem revoltado  com os vídeos do “Não Faz Sentido”, criticando tudo e todos e que fez a fama de Felipe Neto no You tube? Pois é, o rapaz foi pra TV aberta (Globo), pro Multishow, saiu, cresceu e descobriu que ganhar dinheiro é bom. Ele falou no evento do IAB sobre mídias sociais e sobre sua empresa, a Paramaker com 45 funcionários. A empresa operacionaliza também a turma concentrada no Parafernália, canal do You Tube com conteúdo de humor que ele está tocando e que chegou antes do Porta dos Fundos, porém, sem o mesmo sucesso da trupe junto aos anunciantes. Isso, embora já tenha atingido 100 milhões de visualizações, com 2,5 milhões de usuários cadastrados. Mas Felipe acredita que a maré pode mudar, aceita conversar com patrocinadores, discute conteúdos etc, e trata de assuntos de remuneração na web. Mas o melhor momento de sua participação foi quando ele perguntou para a diretora de Redação da revista Capricho, Giuliana Tatini, se o pessoal da revista não havia ficado chateado com ele quando ele criticou os eleitos pelo concurso “Colírios” da publicação. A diretora, polidamente, disse que o polêmico e contraditório era sempre benvindo na Capricho.


Capricho x Malhação



A diretora de redação da revista Capricho, Giuliana Tatini, durante um debate no palco do Social Media Insights, promovido pelo IAB Brasil, aproveitou para dar uma cutucada na novela Malhação, da TV Globo. Disse que não representa os jovens, que as histórias não inovam e não acompanham a moçada, que não tem audiência, que ninguém vê etc. Em tempo: a Capricho, que era conhecida como a "revista da gatinha", está há 61 anos no mercado brasileiro! 

Postar um comentário

0 Comentários