Vale a pena ver Fábio Assunção no teatro


Depois de um jejum das novelas por afastamento do ator da TV, Fábio Assunção está de volta aos palcos com a peça "Adultérios" (Central Park West). O texto é um dos poucos de Woody Allen para a cena teatral e data dos anos 90.
O cenário, claro, não tem como não ser Manhatan. Mais especificamente, um deck do Hudson River, numa cenografia minimalista de charmosa simplicidade.
Dirigido por Alexandre Reinecke e na companhia na maior parte do tempo do ator Norival Rizzo, Assunção dá vida extra ao caráter de um publicitário atormentado e autor frustrado que se confronta com um homem bem sucedido na vida profissional e amorosa, mas que se vê em crise por conta de uma relação extraconjugal. A terceira personagem em cena é interpretada por Carol Mariotinni.
Os devaneios e delírios do personagem interpretado por Fábio Assunção têm o huumor trágico e irônico dos melhores textos de Allen. Loucura e genialidade rebatem-se em cada frase. A segurança interpretativa de Norival Rizzo faz contrapeso aos exageros necessários ao seu interlocutor. Consta que os atores revezam os papeis, mas eu só tive a oportunidade de ver esta configuração da montagem.
De qualquer forma, vale a pena assistir ao espetáculo, em cartaz no Teatro do Shopping Frei Caneca, em São Paulo. Assunção exibe um farto brilho nos grandes olhos azuis, delineados por forte traço preto, percebido até por quem senta mais distante na plateia, o que concede uma credibilidade ainda maior ao publicitário ególatra que personifica.

Postar um comentário

0 Comentários